Siga-nos agora em
english version
INÍCIO  |  LOGIN SÓCIOS  |  CONTACTOS  |  MAPA DO SITE
PESQUISAR
 
 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

voltar ]
27-05-2021
Estudo Happiness Works distinguiu empresas felizes 2021


O momento é desafiante para as organizações que têm de se ajustar a uma nova forma de trabalhar, a um mundo em mudança e a uma crise económica derivada da pandemia mas, ainda assim, há empresas felizes em Portugal, segundo o estudo "Happiness Works".

Realizado desde 2012, o estudo avalia o nível de felicidade das organizações em Portugal onde são calculados o índice total da felicidade organizacional, índice de felicidade dos colaboradores com a organização e índice de felicidade dos colaboradores com a função que desempenham.

Os resultados de 2021 demonstram que as 20 empresas mais felizes no nosso país são: PHC, ITPeople, Milestone, Altronix, AMCO Intermediários de Crédito, AMT Consulting, Grupo Bernardo da Costa, Cobelba, Conectys, Grupo Your, Mendes Gonçalves, NearPartners, Quilaban, Samsys, Smart Consulting, Solfut Lda. – I Have the Power, WY Group, YKK Portugal – Acessórios para Vestuário, Ytech.io, Zolve Logística e Transporte, S.A.

No estudo, realizado entre janeiro e abril do corrente ano, foram recebidas 6.380 respostas de colaboradores de mais de 300 organizações.

Os resultados mostram que o nível de felicidade organizacional manteve-se, no geral, quando comparado com o mesmo período do ano passado.A excepção é o sector de Comunicação e Informação que aumentou o nível de felicidade organizacional de 4,0 para 4,2. Tal, deve-se, em particular, aos colaboradores das empresas de TI, um setor muito activo e com grande crescimento no último ano

É muito relevante observar que apesar do estado de pandemia vivido durante o último ano, o nível de felicidade organizacional dos colaboradores não se alterou. Este indicador reflete a forma positiva em como a maioria das organizações conseguiu manter, no possível, a sua actividade, acompanhar os colaboradores remotamente,garantir o seu bem-estar e sustentabilidade.

O estudo demonstra que existe uma relação entre felicidade organizacional e rentabilidade: os colaboradores mais felizes faltam menos 36% e têm menos 45% vontade de sair da organização.

Este ano, o estudo HW avaliou a felicidade com o trabalho remoto sendo interessante observar que quem trabalhou em casa é mais feliz do que quem trabalhou na organização (4,1 vs 3,7). Também foi iniciado um estudo sobre o Propósito Organizacional: neste caso, os colaboradores que reconhecem e se revêm no Propósito da sua organização são mais felizes (4,2 vs 3,7), faltam menos 36% e querem menos sair da organização em 41%.

Em Portugal, embora se assista a um crescimento da preocupação em ter colaboradores felizes, uma grande parte das organizações ainda tem uma "visão muito tática", ou seja, tem o cuidado de proporcionar momentos e ações de bem-estar, como por exemplo disponibilizar fruta, ginásio, promover eventos de equipa, entre outros. Apesar de positiva, esta postura por si só, pode não permitir criar uma cultura de felicidade organizacional. Para tal, é necessária uma visão mais estratégica e garantir que os colaboradores se sentem felizes em todas as variáveis que contribuem para a felicidade organizacional.

O estudo "Happiness Works", fundado por Georg Dutschke e Guilhermina Vaz Monteiro, tem como parceiros a Lukkap Portugal, Universidade Atlântica, Revista Exame, ACEGE - Associação Cristã de Empresários e Gestores, Sociedade Rebelo de Sousa Advogados e a APG.

 
 
 
RH atual | Sobre a APG | Sócios | Formação | Coaching | Publicações | Ligações | Mapa do site | Contactos | Termos & Condições
redicom.pt